Coleta de sangue – Blut's
26.11.2019

Coleta de sangue

A coleta de sangue pode ser um momento muito estressante para o animal e para os tutores, para evitar o máximo possível de estresse podemos tomar alguns cuidados, como um ambiente calmo, profissionais capacitados e uma contenção adequada. É importante que o tutor também esteja calmo durante a coleta, pois o animal pode acabar se agitando.

A maioria dos exames de rotina é feita com sangue venoso, sendo que o local de preferência para a coleta do sangue é a veia jugular, localizada no pescoço, pois é o vaso mais calibroso e, geralmente, o animal sente menos dor ao puncionar. Outros locais onde pode ser realizada a punção em cães e gatos são: o braço, parte interna da coxa ou na perna – veia cefálica, femoral e safena, respectivamente – sendo escolhido de acordo com o temperamento, espécie e aceitação do animal.

Para melhor higiene, localização e acesso da veia, pode ser necessário que uma parte do pelo seja retirada, e a coleta pode ser feita com seringa ou tubos de coleta a vácuo sendo selecionada de acordo com o peso do animal e volume de sangue exigido, sendo que o último sempre é coletado levando em conta o tamanho do animal, de forma que nunca será retirado um volume de sangue a ponto do animal passar mal.

É comum a coleta de múltiplos tubos, isso acontece pois cada tubo possui uma característica, que é mais adequada para  um tipo de exame, por exemplo a glicose, necessita do tubo com a tampa cinza que contém fluoreto, se for coletada com outro tubo os resultados obtidos podem não ser fidedignos ao do animal, já o hemograma, para a maioria das espécies, é coletado no tubo roxo, contém EDTA para não alterar a forma das células . 

Após a coleta é feito aplicação de pressão no local por um período rápido, para evitar sangramentos, não sendo necessário o uso de curativos, e o único cuidado necessário é para que o animal não faça pressão no local da coleta nos próximos minutos, puxando muito a coleira/peiteira por exemplo.

×