COMO É O CÂNCER DE PELE EM PETS? – Blut's
15.02.2018

COMO É O CÂNCER DE PELE EM PETS?

O câncer de pele, comum nos humanos, tem ainda maior incidência entre os peludos. Chega a ocorrer 35% mais em cães. A doença costuma atingir as raças Boxer, Poodle, Mastiff e Golden Retriever. Mas qualquer cão entre 4 e 15 anos de idade está suscetível. Por isso os donos devem estar atentos aos primeiros sinais e fazer corretamente a prevenção. Veja mais detalhes sobre o câncer de pele e cuide para seu bichinho não ser afetado!

TIPOS MAIS COMUNS DE CÂNCER DE PELE EM PETS – Os tumores cutâneos representam um terço dos cânceres de cães e gatos e são mais facilmente diagnosticados, pois são externos. Entre as formas mais frequentes da doença, estão:

•  Mastocitoma: tipo maligno mais comum em cães. É mais frequente na região das costas, membros e áreas genitais. Entre os sintomas, estão a formação de nódulos que coçam bastante.
•  Carcinoma espinocelular (CEC): pode ser de difícil identificação, pois tem o aspecto de irritações de pele comuns, como úlcera. É mais frequente ao redor dos olhos, ouvidos, nariz, boca e áreas com pouco pelo.
•  Histiocitoma: esse tipo de câncer de pele é benigno (improvável de se espalhar) e muitas vezes desaparece, se for dado tempo, tão misteriosamente quanto apareceu.
•  Melanoma: tumor das células de pigmento e um câncer grave, embora não seja tão comum. Representa de 4% a 6% de cânceres de pele em caninos e de 1% a 2% de tumores de pele em felinos.
•  Linfoma cutâneo: câncer de pele raro, mas grave e generalizado.

SINTOMAS DO CÂNCER DE PELE EM PETS – Uma simples coceira que não cessa e sangra, fazendo com que o pet morda a área afetada pode ser sinal de tumor. Outros sintomas como o aparecimento de nódulos, lesões que não cicatrizam, perda de apetite e de peso, vômito e tosse devem ser considerados motivos de atenção, exigindo uma visita imediata ao médico veterinário.

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CÂNCER DE PELE EM PETS – Se confirmada a doença, o primeiro passo é identificar o tipo por meio da biópsia e da citologia por agulha fina. Os exames mostram se o câncer de pele é maligno (capaz de provocar metástase), ou benigno (incapaz de migrar para outros órgãos). Nas neoplasias benignas, a cirurgia é o mais indicado e quase sempre leva à cura. Já nos cânceres malignos, a cirurgia pode ser o primeiro passo, aliada ao tratamento com quimioterapia e radioterapia.

PREVENÇÃO DO CÂNCER DE PELE EM PETS:

•  Sol: não deixe seu peludo exposto por muito tempo ao sol. Evite o horário entre 10h e 16h. Forneça um lugar para que o cão possa se abrigar do sol e sempre passe protetor solar nele.
•  Tóxicos: impeça que o animal tenha contato com substâncias químicas tóxicas.
•  Nutrição: alimente seu pet com ração industrializada. A boa nutrição evita o aparecimento de neoplasias. Se optar pela alimentação caseira, procure um especialista a fim de minimizar desequilíbrios nutricionais.
•  Castração: castre os animais para não haver crias indesejadas e nunca utilize anticoncepcional em fêmeas.

Leia mais: Guia da castração

•  Pele: Se notar qualquer alteração de pele ou sintomas como coceira que não cessa, aparecimento de nódulos, lesões que não cicatrizam, perda de apetite e de peso, vômito com ou sem sangue, diarreia, letargia e tosse, leve o pet ao médico veterinário. O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura do câncer.
•  Vacinação: mantenha as vacinas do seu amigo em dia para que o sistema imunológico dele crie resistência para combater a formação de tumores.

Veja mais:

Quantas vezes por ano devo levar meu pet ao veterinário?
Anemia em cães e gatos: como tratar?
É normal meu pet comer pouco no verão?
Passo a passo para dar banho no cachorro em casa
Cães comem grama?

×